sábado, 5 de dezembro de 2009

Advento, Caminho para a Vida?

A palavra "advento" vem do latim “adventus” e quer dizer chegada, vinda. Mas o que dizer do Advento neste terceiro milénio marcada por Cristo? O que nos compete fazer a nós, cristãos, neste tempo?
À afirmação de que Advento significa "chegada", urge perguntar-se Quem é que vem, para onde vem e o que vem fazer.

Advento, Caminho para a Vida?
À luz neo-testemantária atrevo-me a dizer que "a chegada" é de Jesus de Nazaré, O Cristo, não um cristo. Podemos facilmente ver isso nas palavras de São João Baptista: «Eu baptizo com água, mas no meio de vós está quem vós não conheceis. É aquele que vem depois de mim, a quem eu não sou digno de desatar a correia das sandálias.» Jo 1, 26b-27.
Se é Jesus que vem, para onde vem? Porque esperamos? O tempo de Advento é o tempo da espera por excelência e que marca em parte toda a vivência cristã: a Esperança na vinda. Esperamos pois Jesus de Nazaré para que venha ter connosco para ser verdadeiramente Emanuel (Deus connosco) e tudo em todos.
O que Vem fazer? Vem para que tenhamos Vida e Vida em abundância (cf. Jo 10, 10).
Numa sociedade de consumo onde a caridade que durante séculos caracterizou os cristãos, dá lugar a um pietismo que raia a hipocrisia, o Advento deve ser, um autêntico "Duc in altum" (faz-te ao largo).
Numa sociedade como a nossa são muitos os caminhos que podemos escolher, mas Jesus diz-nos "EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA" Jo 14, 6.
Viver e caminhar são portanto Cristo. Somos por isso convidados deixar que Cristo viva e reine em nós (cf. Encíclica Quas Primas – Pio XI). Se assim for, ao invés de nos entregarmos ao pietistmo natalício dando umas esmolas, poderemos gritar Cristo com a nossa própria vida e mostrar a todos o que pode ser Deus na vida de um homem, porque depois de deixarmos Cristo ser a nossa vida, não podemos mais ser iguais, viver da mesma maneira, temos de mudar, ser diferentes e marcar a diferença.
Neste CAMINHO que é Cristo é-se em direcção aos outros, aos "mais pequeninos", e não pode ser entendido de outra maneira. Este convite para irmos ao encontro dos outros faz-nos missionários na medida em que depois de convidados somos chamados a convidar.
Se percorrermos este caminho, percorremos também o caminho da santidade e poderemos experimentar a dimensão exstática do amor, ou seja, a dimensão do amor que faz com que saiamos de nós mesmos, despojando-nos (qual kenosis Cristológica), para assim podermos ser mais livres para abraçar e amar os outros.
Para atingir este ponto, é preciso percorrer o CAMINHO que conduz à salvação. É certamente um caminho longo, mas qualquer caminhada que façamos, começa sempre com o "mesmo" pequeno passo. Haverá certamente dificuldades, será a caminhada de toda uma vida talvez, mas vale a pena fazê-la porque "O meu jugo é suave, e a minha carga leve." Mt 11, 30.
Ao Caminho! Boa viagem.. e já agora, FELIZ NATAL. Cristo nasceu para ti.

Por Cristóváo Cunha

P.S. Post feito a partir de um artigo de minha autoria, sobre o Advento, publicado no jornal O Teólogo da Faculdade de Teologia da UCP - Porto em Novembro de 2006.

1 comentário:

Bia Mendonça disse...

Oi chatoish!
Como foi o final de semana?
Eu estive em Bern no sábado, mas nem te liguei pq vc agora só vive ocupado para mim! :P bjs

Vídeos fantásticos

Loading...